Feed
Assine nosso Feed ou receba por email

Saiba o que fazer em caso de furto ou roubo do seu celular

segunda-feira, 16 de junho de 2008

O celular já faz parte da vida de muitos braileiros. Atualmente o país conta com mais de 130 milhões de terminais ativos, que carregam não apenas a agenda de contatos como também informações pessoais de seus usuários. Por ser um bem que acompanha as pessoas, o roubo ou furto do aparelho pode trazer uma série de transtornos. Como ninguém está livre de passar por isso, o WNews dá dicas do que fazer nessas situações e antes do acidente para reduzir o impacto das perdas.

Vale lembrar que nenhuma das recomendações a seguir vai proteger você de perder os seus contatos salvos. Os especialistas aconselham todos os usuários de celular a criar o hábito de fazer backup de sua agenda, transferindo os dados para o computador.

O usuário que não quiser fazer esse trabalho, tem a opção de contratar o gerenciamento de agenda oferecido pelas operadoras. Os dados ficam hospedados no servidor da sua prestadora de serviços e disponíveis para download, mediante pagamento de uma tarifa, que varia de acordo com a companhia de celular.Bloqueio da linha

A primeira medida que você deve tomar em caso de roubo ou furto do seu celular notificar a sua operadora. Essa comunicação deve ser feita o quanto antes para que a linha seja bloqueada.

Em caso de celulares pós-pagos, é essencial que a ligação seja feita imediatamente, para evitar futuramente dores de cabeça com a conta. O bloqueio da linha pode ser feito pelo telefone de atendimento ao consumidor de sua operadora, que vai solicitar alguns dados cadastrais para realizar essa operação. O procedimento varia de acordo com a prestadora de serviços.

Por lei, a linha pode ficar bloqueada por até 120 dias antes de ser liberada para o uso por outro cliente, embora cada operadora tenha liberdade de permitir um prazo maior – a TIM e a Claro, por exemplo, dão 180 dias.

É importante você desbloquear sua linha dentro do prazo para evitar a perda do seu número. Com a compra de um aparelho novo, a linha é resgatada na própria loja. No caso dos aparelhos GSM, será preciso comprar, além de um novo aparelho, um SIM Card em branco, que funcionará como o chip antigo.

Clientes de planos pós-pagos podem ficar isentos da compra de um novo aparelho e do chip, dependendo do seu contrato de fidelidade com sua operadora e também do modelo de aparelho que deseja adquirir. Essa é uma estratégia que varia de acordo com cada prestadora de serviços.

Faça BO

Depois de comunicar a perda de seu celular, o próximo passo é registrar o Boletim de Ocorrência (BO) em uma delegação de polícia. É importante ressaltar que o furto é caracterizado apenas quando não há ameaça ou violência contra a vítima. Caso haja este tipo de abordagem, trata-se de roubo.

Essas informações são importantes porque o BO pode ser feito eletronicamente somente em caso de furto. Já em casos de ocorrências de roubo, as Secretarias estaduais de Segurança Pública exigem que a vítima faça o documento em uma delegacia física.

Além de o BO ser um documento importante para apresentar à sua operadora, ele prova que o celular não estava mais com você, caso seja usado para prática de algum crime ou indevidamente.

Trave o aparelho

Um celular GSM roubado precisa de apenas de um novo chip para funcionar normalmente, o que tem contribuído para o aumento da venda ilegal de aparelho. Já um CDMA não faz ligações sem linha. Portanto, o assinante tem a opção de, além de bloquear a linha, travar o seu terminal para que o ladrão não possa utilizá-lo.

Para travar o seu celular depois de roubado, você precisa ter em mãos o BO e o número de série que é a Identificação Internacional de Equipamento Móvel (IMEI). Esse código é único pode ser encontrado de quatro maneiras diferentes: na parte de trás do celular, embaixo da bateria; discando *#06# no teclado do telefone; na caixa ou na nota fiscal do aparelho.

Os especialistas aconselham aos usuários que ao comprarem um novo aparelho anotem o seu número de série e guardem. Essa operação é bem simples. Basta digitar os códigos mencionados acima que aparecerá no visor os algarismos do seu IMEI. Em caso de furto ou roubo informe esses dados para operadora que poderá de posse do BO bloquear o terminal. Assim mesmo que você não recupere o telefone, quem tiver de posse dele não poderá utilizá-lo com outro chip.

Caso você recupere o seu celular roubado ou furtado de alguma forma, o procedimento é diferente. É preciso levar o documento de baixa do BO até uma loja da sua operadora para que o aparelho possa ser usado novamente.

Todas as operadoras recomendam que o cliente guarde a caixa ou a nota fiscal do aparelho. Veja a seguir os telefones para bloqueio de celular das principais operadoras:

Claro: 1052
Oi: 1057
Vivo: 1058
TIM: 0800-741-4141. Usuários corporativos devem discar 0800-741-0041

wnews

Imprimir Salvar como Pdf

2 comentários:

Paulo Celso disse...

Só para completar e dificultar, ao menos um pouco, a vida do ladrão:

- Ative a senha (código PIN) do chip, pois geralmente quem furta/rouba a primeira coisa que faz é desligar o celular. Ao tentar ligar de novo, vai dar de cara com a senha (código PIN) do chip e não vai fazer ligações às suas custas imediatamente;
- Da mesma forma, coloque código de segurança para o aparelho - o que o obrigará a procurar a assistência técnica para destravar o aparelho ou gastar mais um pouco nas assistências não autorizadas.

Lorran disse...

Pequeno datalhe, este código para verificar o IMEI não é válido para todos os celulares, se eu não me engano é somente para celulares Nokia. Mas uma coisa, acredito que mesmo com o bloqueio do aparelho através do IMEI, deve existir algum metodo de clonar ou alterar este codigo do aparelho possibilitando a utilização normal do aparelho.

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina